Mark DeLoura, autor de Game Programming Gems, conduziu uma pesquisa entre profissionais da área de desenvolvimento de jogos, em 2009, publicada no gamasutra, sobre o uso de engines de jogos como middleware.

55% dos entrevistados relataram o uso de alguma engine de jogos de middleware para seus projetos atuais, mas apenas 9.3% deles realmente usariam uma engine por opção.

Motivos principais quais os entrevistados justificam o uso das engines são a possibilidade dos artistas e designers começarem seu trabalho imediatamente, engenheiros poderem focar na código especifico ao jogo e o último poder ser desenvolvido mais rapidamente com necessidade de menos tecnologia a ser produzida, poupando recursos e possibilitando o investindo em características diferenciais para o jogo.

Por outro lado, os entrevistados expressaram preocupações quanto a possibilidade da engine não funcionar corretamente com o gênero de jogo desenvolvido, a dificuldade de estendê-la, devido a falta de entendimento do código, a dificuldade de integração com as suas ferramentas e a incapacidade de se adquirir o código fonte da engine.

Perguntados sobre o que esperam das engines de jogos, os entrevistados consideraram como mais importante a disponibilidade do código fonte da engine, seguida de facilidade de integração com demais middlewares.